Educação

Secretaria de Estado da Educação

Acessibilidade: A+ A() A-

 Arquivo de Notícias

Uma programação alusiva ao Dia Mundial do Meio Ambiente está acontecendo na área externa da Secretaria de Estado da Educação (Seed) com o tema "Educação Ambiental: Fortalecendo Espaços Educadores Sustentáveis nas Escolas Estaduais". O evento é promovido pela Unidade de Educação Ambiental (UEA) e se estenderá até quarta-feira, 3.


O objetivo é socializar ideias e experiências desenvolvidas pelas escolas, a partir do Programa Interativo/Escolas Sustentáveis e Com-Vida.



Nesta terça-feira, 2, professores, coordenadores e alunos da rede estadual de ensino, participaram de uma oficina de reaproveitamento de papel. Para José Augusto Lima, aluno do terceiro ano na Escola Estadual Azevedo Costa, a oficina é um momento inovador. "É o primeiro contato com temas como este, que precisam ser sempre lembrados, pois temos que cuidar cada vez mais do meio em que vivemos", ressaltou.


Além de oficinas, outras atividades serão desenvolvidas no decorrer da programação, entre elas, mesas-redondas (experiências exitosas e reflexão sobre as práticas de Educação Ambiental) e exposição de painéis temáticos. Na quarta-feira, 3, das 8h às 12h, haverá uma exposição de painéis dos projetos socioambientais e, das 14h às 18h, mesa-redonda sobre questões inerentes ao meio ambiente no auditório da Seed.


O coordenador de políticas educacionais, Aiton Guedes, explicou que em várias escolas estaduais esse projeto de educação ambiental já é trabalhado há muito tempo. "Hoje podemos verificar que, com coisas simples, podemos mostrar que a educação ambiental é importante para o nosso desenvolvimento. Na oficina de reciclagem, por exemplo, vemos como utilizar o papel, que iríamos jogar no lixo, ser utilizado na produção de vários objetos", disse.



 


Em breve, alunos da educação básica do Estado serão contemplados com um programa inovador. Trata-se do Programa Rede de Ciências do Estado do Amapá, que consiste em formar clubes de ciências para fomentar o estudo e pesquisas científicas, abrangendo escolas públicas em todos os municípios do Amapá. É um desafio proposto pelo Governo do Estado do Amapá, em fase de elaboração pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec).


O ponto-chave do programa é desenvolver uma cartografia da ciência no Amapá, alimentando uma rede de informações acerca de projetos científicos implementados nas escolas públicas. Professores e alunos da educação básica (até o 3° ano) selecionados serão beneficiados com bolsas de iniciação científica.


Outro objetivo do programa é deixar o estudante desde cedo capacitado para a universidade, promovendo potencialidades com características próprias da ciência: sistemática, disciplinadora e experimental, com formação de pesquisadores e doutores.


De acordo com a gerente do Núcleo de Tecnologias Sociais da Coordenadoria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovações da Setec, Lenira Reis, o Programa Rede de Ciências pretende, sobretudo, buscar as grandes ideias que se encontram em cada ponto do nosso Estado, trazendo o conceito de que a denominação "ciência" é muito ampla. "Queremos colocar em voga que ciência não é química, biologia e física apenas, mas sim humanas e políticas, por exemplo".


Com previsão para lançamento em agosto deste ano, o programa fará seleção dos projetos dos clubes de ciência, primeiramente na capital Macapá e em mais dois municípios a serem definidos por uma equipe consultiva da Setec. O principal critério para a avaliação técnica será a abordagem de assuntos relacionados ao desenvolvimento econômico do Amapá e ao bem-estar coletivo.


"Entendemos que o desenvolvimento social está diretamente ligado à felicidade. Queremos ver a população com melhores condições de moradia, educação, saúde e acessibilidade. Assim, com esses projetos, vamos, além de estimular os estudos, buscar soluções para a melhoria desses pontos que são de extrema relevância para a gestão do governador Waldez Góes", explica Lenira, que junto do secretário da Setec, Robério Nobre, e equipe, está formulando o programa.


A Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia almeja finalizar os desdobramentos do programa, em breve, para que seja firmado como programa de governo durante as discussões do Plano Plurianual (PPA).



Um grupo de professores da Universidade Federal do Pará (UFPA) apresentou nesta sexta-feira, 29, para os servidores da Secretaria de Estado da Educação (Seed), o projeto "Estudos Amazônicos Interativos" que tem por objetivo oferecer, via internet, acesso a um elaborado conjunto de atividades interativas sobre história, geografia e diversos aspectos da Amazônia brasileira.


A exposição do projeto, que aconteceu no anexo do auditório da Universidade do Estado do Amapá (Ueap), contou com a presença da secretária de Educação, Conceição Medeiros e técnicos da Seed.


Segundo o professor da UFPA, Danilo Alves, responsável pela apresentação do projeto, a ideia inicial é disponibilizar a coletânea do material para os professores e alunos, possibilitando maior interatividade durante as aulas. "O material utilizado é por meio de vídeos, documentários, músicas, ilustrações, todos muito interativos o que faz despertar o interesse do aluno no aprendizado", explicou.


Para a secretária de Educação, Conceição Medeiros, o projeto é inovador e muito importante. "Desejamos que o Amapá entre nesse campo tecnológico para que a escola se torne um ambiente mais agradável para comunidade escolar. Vamos analisar todos os mecanismos para implementar o projeto em nosso Estado", garantiu.


O projeto conta com o apoio e financiamento da Editora Paka-tatu, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), por meio do Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas (Rhae). A editora já produz uma nova geração de livros didáticos digitais interativos.


Os técnicos da Secretaria de Educação terão um novo encontro com a equipe do projeto-piloto para, posteriormente, analisarem os meios para implementação na rede pública de ensino do Estado do Amapá.


Foi realizada nesta sexta-feira, 29, uma ação social promovida pela Escola Estadual Professor Nilton Balieiro, localizada no bairro Marabaixo II, zona oeste de Macapá. A ação é realizada há oito anos com o objetivo de oferecer à comunidade e aos estudantes serviços diversos e momentos de lazer. Todo trabalho é realizado em parceria com o governo do Estado e empresas privadas.


A Escola Nilton Balieiro atende com o ensino fundamental, médio, Educação de Jovens e Adultos (Eja) e atualmente conta, em média, com 1.200 estudantes. Durante a ação, foram oferecidos atendimentos médico (clínico e pediatra), nutricional, odontológico, psicossocial, emissão de documentos, vacinação, assessoria jurídica, palestras e orientação profissional sobre violência doméstica e Conselho Tutelar, atividades esportivas, cortes de cabelo e atrações culturais.


Segundo a diretora da escola, Rita Gonçalves, a primeira edição do projeto aconteceu em 2007 e surgiu devido à necessidade de toda a comunidade do bairro e adjacências se sentirem incluídas na escola e participativas ativamente dos projetos, tendo em vista que grande parte dos serviços ofertados ainda se concentram no centro da cidade.


"É um projeto que tem dado muito certo, porque possibilita o acesso da comunidade e é uma relação próxima e gratificante com pais, alunos, professores, técnicos da escola que se mobilizam para o sucesso do projeto e todos que são acolhidos. A escola completou 11 anos de criação, no dia 20 de abril, e hoje comemoramos com uma grande ação", destacou.


Foram disponibilizados, também, computadores com acesso à internet para a realização da inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), peças teatrais com temas sobre drogas, dengue e malária, violência contra a mulher, além de um espaço criado para a doação de livros e outro em homenagem ao patrono da escola.


Para a coordenadora e assistente social do Centro de Atendimento à Mulher e à Família (Camuf), Patrícia Palheta, é fundamental participar de parcerias educativas em todos os sentidos, como prevenção, orientação e atendimento.


"É de suma importância a participação na escola e estar utilizando o espaço para orientação principalmente dos jovens dentro das instituições com atendimentos à mulher, homens e crianças que estão inseridas no contexto de violência. Precisamos criar vínculos para além do institucional e atingir metas e objetivo ", explicou.


O benefício da ação é confirmado pela dona de casa e moradora do bairro Marciclene Carvalho. Ela diz que é aluna da escola e hoje está retornando para atendimento médico com a filha.


"É um excelente projeto, porque cuida também da saúde das pessoas. Estudo na escola pela noite e hoje posso trazer minha filha para os atendimentos e para conhecer o local que estudo que mais em frente servirá para ela", ressaltou.


 


 

Após três dias intensos de debates e votações, envolvendo cerca de 450 educadores de todo o Estado, o Governo do Amapá, por meio da secretaria de Estado da Educação (Seed), realizou a Conferência Estadual de Educação 2015, que foi concluída nesta quinta-feira, 28, no espaço do templo central da Assembleia de Deus em Macapá.


Foram elaboradas 31 metas e estratégias que compõem o documento base que prevê projetos, programas e ações educacionais para os próximos dez anos, em consonância com as diretrizes, metas e estratégias previstas no Plano Nacional de Educação (PNE).


A construção coletiva do Plano Estadual de Educação (PEE) tem como um dos principais objetivos legitimar as propostas coletadas junto aos municípios e avaliar as políticas públicas para a educação.


Para o presidente da comissão de elaboração do PEE, Eugênio Furtado, o plano se concretiza como um espaço de diálogo das políticas educacionais e debate de propostas que refletem diferentes realidades educacionais.



"O plano tem o caráter político de indicar o rumo, mas também tem o caráter muito fortemente pedagógico, pois são nesses debates que temos a oportunidade de conhecer a realidade da educação, os anseios e limitações, assim como construir nossos desafios para a educação no Estado; no nosso entendimento, a educação repercute em todas as outras áreas: na saúde, no trabalho e emprego, segurança pública e demais; é um verdadeiro aprendizado e um desafio", destacou.


As propostas apresentadas foram votadas e agrupadas nos seguintes eixos temáticos: Educação Básica - etapas de ensino e educação integral, modalidades de ensino e diversidade; Ensino Superior; Qualidade da Educação e Financiamento; e Valorização e Formação. 


Segundo Uana Tereza, delegada representante do município de Ferreira Gomes, a conferência vai trazer resultados positivos para a educação. "Todos os municípios têm a oportunidade de participar e apresentar suas propostas para o desenvolvimento da educação; é assim que podemos construir uma gestão mais participativa e democrática", disse.


Também foram discutidos temas como: Qualidade da Educação: democratização do acesso, permanência, avaliação, condições de participação e aprendizagem; Gestão Democrática, Participação Popular e Controle Social; Valorização dos Profissionais da Educação: formação, remuneração, carreira e condições trabalho; e Financiamento da Educação: gestão, transparência e controle social dos recursos. 


"Este encontro representa um momento ímpar no contexto da educação do Estado, as propostas apresentadas são no sentido de contribuir com a construção de um sistema educacional de qualidade. São espaços de discussão abertos à colaboração de todos os profissionais da educação, gestores, estudantes, pais, entidades sindicais, científicas, movimentos sociais e conselhos de educação, entre outros", enfatizou Conceição Medeiros, secretária de Estado da Educação.


A criação do PEE está prevista na Lei Federal Nº 13.005, de 25 de junho de 2014, que instituiu o Plano Nacional de Educação, o qual determina que os estados têm o prazo de um ano para aprovarem, através de lei, o Plano Estadual de Educação. O prazo terminará no próximo dia 24 de junho.


Com aprovação do texto final em Conferência, a redação será encaminhada para apreciação do governador do Amapá, Waldez Góes, e será enviado para análise e aprovação da Assembleia Legislativa do Estado do Amapá (Alap). Posteriormente, seguirá para sanção do governador, transformando-se em Lei.


Os Jogos Escolares 2015 estão oficialmente abertos. Em uma cerimônia que contou com a presença mais de 300 alunos das redes estadual e privada de ensino, a disputa que mais revela talentos esportivos no Amapá foi lançada, na tarde desta quarta-feira, 27, no Estádio Milton de Souza Corrêa, o Zerão.


O evento marcou o início das competições no basquete, vôlei, handebol, futsal e outras modalidades individuais. Houve a exibição de luta olímpica, karatê e judô. Além disso, alunos representaram as mais de 80 escolas que participam dos jogos este ano.


O secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública, Gastão Calandrine, que representou o governador Waldez Góes, disse que a competição não tem somente a finalidade de revelar talentos e sim contribuir no processo de formação do caráter dos estudantes. "Os jogos incentivam o espírito de companheirismo e lealdade. É um momento de integração entre os jovens e escolas. Temos a certeza que daqui vão sair muito nomes e jovens promessas do esporte amapaense", destacou.


Este ano serão disputas 13 modalidades esportivas e a abertura contou com a exibição do grupo de rapel do Corpo de Bombeiros Militar, que repassou a chama olímpica ao medalhista mundial de Taekwondo, Venilton Torres, que conduziu a tocha até a pira, simbolizando a abertura oficial dos Jogos Escolares.


O secretário de Estado, Desporto e Lazer, Edinoelson Trindade, lembrou que a expectativa fica por conta das modalidades individuais como o judô. "Agora na abertura já pudemos notar que será um dos jogos escolares mais disputas dos últimos anos. Logicamente que todas as modalidades têm papel importante, mas considero que as individuais de luta podem nos trazer novamente grandes nomes. O futebol de campo que será a novidade este ano, não terá competição nacional, mas fizemos questão de realizar a modalidade. Estão abertos os jogos escolares 2015", finalizou.


Os Jogos Escolares serão disputados nas categorias de 12 a 14 anos e de 14 a 17 anos.


 

Dando continuidade a Conferência Estadual de Educação 2015, aconteceu nesta quarta-feira, 27, na Escola Estadual Graziela Reis de Souza, as minipleárias. Na ocasião, foram debatidos cinco eixos temáticos: Etapas de Ensino de Educação Integral, Modalidades de Ensino, Ensino Superior, Qualidade da Educação e Valorização e Formação.


A equipe que compõe a comissão de eventos acompanhou os trabalhos dos 11 eixos temáticos que foram observados pelos delegados a partir do conteúdo disposto no Texto Referência.


A titular da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Conceição Medeiros, considera a execução do Plano Estadual de Educação um momento histórico para a área no Amapá. "A conferência é uma consulta pública resultado de um trabalho de dois anos que a Educação está fazendo após a aprovação do Plano Nacional de Educação. Tivemos um ano para fazer essa construção que começou em 2013. Temos até junho para que o Plano seja aprovado e se torne lei. Isso é um fato inédito, pois nunca as discussões feitas nas conferências estaduais de educação se tornaram em forma de plano uma lei", comemorou.


O presidente da Comissão do PEE, Antônio Eugênio Furtado disse que as discussões foram produtivas. “As emendas receberão alguns ajustes de redação, por meio do consenso de todos e levaremos tudo para o Teatro amanhã para seguir para aprovação do PEE”, afirmou o professor.


Ele destacou ainda que, “constarão no Texto Final do PEE as propostas aprovadas nos colóquios e na plenária final”.  


Na quinta-feira, 28, das 8h às 18h, último dia de evento, acontecerá à plenária final, onde serão apresentados todos os temas discutidos e definidos, culminando com a aprovação do Plano Estadual de Educação.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) realizou a abertura oficial do Censo Escolar de Educação Básica 2015, nesta quarta-feira, 27. O evento ocorreu no auditório da Universidade do Estado do Amapá (Ueap) e reuniu gestores das escolas públicas, técnicos, pedagogos e responsáveis pelo censo. A última quarta-feira de maio é emblemática para a educação, por ser o Dia Nacional do Censo Escolar, por isso, é referência para a coleta dos dados educacionais.


A primeira etapa da coleta de dados para o Censo Escolar da Educação Básica de 2015 iniciou-se em 27 de maio. Nesta fase, que irá até 31 de julho, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) recolherá informações detalhadas sobre escolas, alunos, professores e turmas de todas as etapas e modalidades da educação básica do país. As informações deste levantamento estatístico serão utilizadas por gestores, pesquisadores e a comunidade escolar.


O Censo Escolar é importante para a contribuição de políticas públicas e aquisição de programas do Ministério da Educação, subsídios para a merenda e transporte escolar. Além disso, o apoio dos gestores e responsáveis pela inserção de dados, tendo em vista os prazos, é de extrema relevância para atingirmos as metas", destacou o assessor técnico do Centro de Pesquisas Educacionais (Cepe) da Seed, Laércio Góes.


 O preenchimento dos formulários caberá aos diretores e responsáveis pelas escolas, por meio do Educacenso – sistema de coleta de dados via internet no portal do Inep. Para a secretária de Educação, Conceição Medeiros, o levantamento estatístico compreende a educação básica em suas diferentes etapas: infantil, fundamental, ensino médio e profissional de nível técnico; modalidade ensino regular, educação especial e de jovens e adultos.



"O trabalho tem a definição e a implementação de políticas orientadas para a promoção da qualidade do ensino. Os dados contêm informações detalhadas, que colaboram para subsidiar a definição de políticas públicas educacionais, bem como a distribuição de recursos da União para Estados e municípios. O levantamento estatístico-educacional mostra, também, informações sobre professores, alunos e turmas", destacou Medeiros.


Participaram da abertura do Censo Escolar 2015, o secretário de Relações Institucionais, Jorge Amanajás; a coordenadora-geral do Centro de Apoio Operacional de Infância e Juventude, Judith Teles; o presidente do Conselho Estadual de Educação do Amapá, Eunice Bezerra de Paula; o interlocutor suplente da Seed junto ao Inep, Augusto Cezar Brito; entre outros representantes de instituições ligadas à educação.



 


 

O governador do Amapá, Waldez Góes, palestrou sobre o Plano Estadual de Educação (PEE) durante a Conferência Estadual de Educação, que acontece no período de 26 a 28 de maio, no Teatro das Bacabeiras. O encontro aborda questões sobre organização e qualidade do ensino, nos aspectos da oferta de vagas, evasão escolar, e projeções a médio e longo prazo.

Na solenidade, o governador frisou que a educação é elemento vital para a mobilização das forças produtivas no fortalecimento da ação do capital humano necessário para melhorar qualitativamente a sociedade.

"Precisamos mobilizar as potencialidades da nossa economia. Para isso, é necessário trabalhar a educação como um fator fundamental determinante. A política pública da educação deve considerar algumas metas, como: aumentar o nível de qualidade de ensino e reduzir a evasão do ensino fundamental e médio", afirmou o chefe do Executivo.

A titular da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Conceição Medeiros, considera a execução do Plano Estadual de Educação um momento histórico para a área no Amapá. "A conferência é uma consulta pública resultado de um trabalho de dois anos que a Educação está fazendo após a aprovação do Plano Nacional de Educação. Tivemos um ano para fazer essa construção que começou em 2013. Temos até junho para que o Plano seja aprovado e se torne lei. Isso é um fato inédito, pois nunca as discussões feitas nas conferências estaduais de educação se tornaram em forma de plano uma lei", comemorou.

Professora há 18 anos na educação pública, Silvia Chucre, acredita que o Plano Estadual de Educação vai ajudar a diminuir a evasão escolar e melhorar os indicadores da educação amapaense. "O educador faz parte e precisa traçar metas para um novo rumo da educação. 

Sabemos que temos uma evasão escolar muito grande, onde o aluno perde o interesse de ir à escola. Iremos buscar novas estratégias para conseguir trazê-lo de volta e também mostrar a importância da educação escolar na vida dele", explicou.

No segundo dia de evento serão realizadas as miniplenárias, na Escola Estadual Graziela Reis de Souza, das 8h às 18h. Na ocasião, serão debatidos cinco eixos temáticos: Etapas de Ensino de Educação Integral, Modalidades de Ensino, Ensino Superior, Qualidade da Educação e Valorização e Formação.

Na quinta-feira, 28, das 8h às 18h, último dia de evento, acontecerá à plenária final, onde serão apresentados todos os temas discutidos e definidos, culminando com a aprovação do Plano Estadual de Educação.

O governador Waldez Góes empossou 60 servidores aprovados no concurso da Secretaria de Estado de Educação de 2012, em solenidade realizada nesta segunda-feira, 25, no Salão Nobre do Palácio do Setentrião. Além disso, o chefe do Executivo estadual assinou a Lei da Regência e decreto de promoção funcional de 99 profissionais da educação. Também foi assinado decreto que anistia as faltas dos professores grevistas de 2012.


Dos servidores empossados, 45 são professores das disciplinas de artes, ciências, educação especial, educação física, história, sociologia, espanhol, língua portuguesa e 15 são pedagogos. Os novos servidores serão apresentados para início imediato nas escolas estaduais da capital e do interior do Amapá.


O retorno da Gratificação de Regência de Classe, que garante um acréscimo de 15% aos professores que estão em sala de aula, extensivo aos pedagogos, auxiliares educacionais e especialistas, foi proposto à categoria pelo Governo do Amapá em abril, durante a Agenda do Servidor, e aprovado em sessão extraordinária realizada dia 12 de maio, na Assembleia Legislativa do Amapá (Alap).


Também foram contemplados os profissionais que se aposentarem, desde que estes tenham desempenhado suas funções pelo período mínimo de 15 anos consecutivos ou intercalados.


O governador Waldez Góes destacou a importância do diálogo maduro e respeitoso mantido entre o Estado e a categoria, que construiu a nova regência para os trabalhadores e a anistia da falta daqueles que lutaram por toda educação.


"O servidor público para estar motivado e mobilizado precisa de condições de trabalho, ser ouvido, respeitado e valorizado. Por isso, continuo defendendo que o diálogo é sempre decisivo", afirmou Waldez.


O governador lembrou, ainda, que muitas dessas conquistas ocorreram na mesa de negociação da Agenda do Servidor. "Eu quero fazer esse destaque porque eu confio na Agenda e os servidores devem ter essa compreensão, através dos sindicatos que lhe representam", pontuou.


A secretária de Estado de Educação, Conceição Corrêa Medeiros, afirmou que esse é um momento histórico para a educação. De acordo com a secretária, o governo continuará valorizando o profissional qualificado, graduado e investindo em sua educação continuada.


"Nosso sonho neste governo é ter no quadro todos os professores efetivos. Quando iniciamos essa gestão, a validade do concurso de 2012 encerraria em 15 de janeiro e imediatamente o governador nos orientou e determinou que o prazo fosse estendido", explicou Medeiros.


Para a secretária de Estado de Administração, Maria Goreth da Silva e Souza, com essa ação o Estado vai tentar solucionar gradativamente os problemas do setor, reduzindo a carência de professores nas escolas, tanto da zona urbana, como na rural.


Conforme a gestora, desde o início do ano o governo do Estado chamou 158 profissionais da educação e ainda aguarda 66 nomeações de concursados que já foram convocados e estão passando pelas fases documental e de perícia médica.


Em seu discurso, a servidora empossada, Jaciele Pelágio da Paixão, declarou que com o investimento do Estado em recursos humanos os profissionais da educação se comprometem em desenvolver a atividade de forma comprometida e eficaz. "Durante todo o processo que vencemos ainda se fazia necessário uma decisão de gestão como essa. Sabemos que, mesmo em pouco tempo de governo, não se mediu esforços para investir no setor educacional do nosso Estado".


Anistia
O Governo no Estado do Amapá também anulou as faltas aplicadas aos profissionais da educação do Estado referentes ao período de 16 de abril a 28 de junho e dia 31 de agosto de 2012. A decisão foi garantida através do Decreto nº 2487. O profissional que ainda não foi ressarcido em seus vencimentos poderá ingressar via administrativa na Secretaria de Estado da Educação (Seed) com o devido requerimento.


 

Durante três dias, o governo do Estado vai promover um amplo debate para definir as propostas e metas dos próximos dez anos de gestão da educação no Amapá. As discussões vão ocorrer dias 26, 27 e 28 de maio, no Teatro das Bacabeiras, quando será realizada a Conferência Estadual de Educação.
Na abertura do evento, na terça-feira, 26, a partir das 19h, o governador do Amapá, Waldez Góes, vai palestrar sobre o Plano Estadual de Educação (PEE) – onde o chefe do Executivo vai abordar questões sobre organização e qualidade do ensino, nos aspectos da oferta de vagas, evasão escolar, e projeções a médio e longo prazo.



No segundo dia de evento serão realizadas as miniplenárias, na Escola Estadual Graziela Reis de Souza, das 8h às 18h. Na ocasião, serão debatidos cinco eixos temáticos: Etapas de Ensino de Educação Integral, Modalidades de Ensino, Ensino Superior, Qualidade da Educação e Valorização e Formação.



Na quinta-feira, 28, das 8h às 18h, último dia de evento, acontecerá à plenária final, onde serão apresentados todos os temas discutidos e definidos, culminando com a aprovação do Plano Estadual de Educação.


PEE


Segundo o presidente da comissão do PEE, Antônio Eugênio Furtado, o Estado do Amapá ainda não possui um plano aprovado. Ele destaca ainda a importância do plano no que tange a organização do ensino, nos aspectos da oferta de vagas, permanência dos alunos nas escolas, qualidade do ensino e projeções do ensino a médio e longo prazo para a sociedade amapaense.



Fazem parte da comissão estadual para a construção do PEE instituições e coordenadorias como Centro de Pesquisas Educacionais (Cepe), Coordenadoria de Recursos Humanos (CRH), Coordenadoria de Desenvolvimento das Políticas Educacionais (Codnope), Coordenadoria de Educação Básica e Profissional (Cebep), Coordenadoria de Apoio ao Estudante (Caed), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Coordenadoria de Administração (CAD), Assessoria de Desenvolvimento Institucional (Adins), Coordenadoria de Educação Específica (CEESP) e o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

O Governador do Estado do Amapá, Waldez Góes, irá assinar o decreto garantindo a Promoção Funcional de 96 professores do Estado, nesta segunda-feira, 25, às 14h, no salão nobre do Palácio do Setentrião.


                                                           Confira a lista com os nomes

O Centro de Ensino Profissionalizante do Amapá Professora Josinete Oliveira Barroso (Cepajob) realizou nesta sexta-feira, 22, um encontro técnico-pedagógico para discutir a educação profissional no Estado do Amapá. A abertura do evento contou com a apresentação da banda da Polícia Militar, que executou o Hino Nacional e o Hino do Amapá.


Durante o evento, houve a apresentação dos cursos profissionalizantes ofertados pela instituição nos eixos de Turismo, Hospitalidade e Lazer, Informática e Comunicação.


O encontro teve o objetivo de socializar os conhecimentos e experiências referentes a processos de ensino e aprendizagens desenvolvidos na educação profissional técnica e tecnológica, visando à formação de cidadãos em condições de compreender a realidade social, econômica, política, cultural e do mundo do trabalho.


Segundo o diretor do Cepajob, Waldimir Cunha, a proposta é agregar instituições e entidades de classe, a fim de fortalecer a ligação dos tecnólogos e o mercado de trabalho, em parceria com as prefeituras municipais.


"Estamos trabalhando, visando cursos de especialização para guias de turismo formados pelo Cepajob e outras instituições já neste segundo semestre. Além da oferta de curso de inglês e francês. A intenção é implantar rede de cursos profissionalizantes nos 15 municípios do Amapá", destacou.


Também foi apresentada a minuta de um Termo de Cooperação Técnica, que visa o incremento de futuras parcerias com todos os municípios do Estado.



De acordo com a secretária de Educação, Conceição Medeiros, é importante discutir com todos o papel da educação profissional no contexto amapaense e revisar o Projeto Político Pedagógico (PPP) dos centros de educação profissional visando novos encaminhamentos.


"Discutir a educação profissional no Estado em um momento que culmina com o planejamento do Plano Plurianual (PPA) 2016 é pensar também num Amapá que precisa se livrar do emprego público, e incentivar os jovens para uma educação empreendedora, a questão também será tema no Plano Estadual da Educação (PEE) com o envolvimento e participação de todos os setores da sociedade que terá uma vigência de dez anos", destacou.


Participaram do encontro associações de classes do trade turísticos e empresas da área de informática, secretarias de Estado e prefeituras municipais, dentre outros órgãos ligados à educação profissional.



 


 

Um grupo de merendeiras das escolas públicas do Estado do Amapá participaram nesta sexta-feira, 22, da capacitação sobre "Boas Práticas de Manipulação de Alimentos". O evento, promovido pela Secretária de Estado da Educação (Seed) e Conselho de Alimentação Escolar (CAE), aconteceu no caminhão da Cozinha Brasil do Sesi/AP, parceiro da ação.


As funcionárias contaram com palestras sobre higiene de alimentos, uniformização, importância de equipamento de proteção individual, microbiologia dos alimentos, manejo de resíduos, congelamento, armazenamento de alimentos, entre outros.


A secretária-adjunta da Seed, Elizabete do Rosário, parabenizou a atuação das profissionais e pediu empenho na melhoria da qualidade da alimentação, que será oferecida as crianças todos os dias nas escolas. "Vocês são multiplicadores de um trabalho importantíssimo para a melhoria da educação. Muitos alunos não possuem condições de tomarem café ou almoçarem antes de irem para escola, o que dificulta muito o aprendizado. Com a merenda adequada e nutritiva, isso tende a mudar bastante", afirmou.


A nutricionista Luciane Zagalo, que ministrou as aulas práticas e teóricas, explicou que o reaproveitamento dos alimentos foi uma das grandes novidades para as participantes. "Explicamos como aproveitar cascas, sementes e a importância de alguns alimentos para enriquecer a merenda dos alunos", destacou.


Ilma Santos, presidente do CAE, falou sobre a importância da capacitação para o bem da comunidade escolar. "Elas aprenderam muito mais do que o preparo correto dos alimentos e o valor nutritivo dos alimentos, elas trabalharam também, a relação de amor com o trabalho que realizam e a relação delas com os alunos", enfatizou.


Para Idalci Feitosa, merendeira há 17anos e atualmente exerce a função na Escola Estadual Maria do Carmo Viana dos Anjos, as capacitações são necessárias. "Aprendemos novas receitas que não sabíamos, agora temos mais conhecimento sobre como aproveitar os alimentos para outras receitas", garantiu.


Além das aulas práticas, elas receberam um livro com 250 receitas, toca de cabeça, avental e o certificado pela capacitação.


 


 

Gestores do Governo do Amapá se reuniram com representantes do Tribunal de Contas do Estado do Amapá (TCE/AP) e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae/AP), para apresentar o programa Caixa Net. A ferramenta, que será efetivamente implementada no início do segundo semestre, vai servir para monitorar a execução dos Caixas Escolares. O encontro aconteceu nesta quarta-feira, 20, no Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap).


O controlador-geral do Amapá, Otini Miranda, explicou que o objetivo do sistema é proporcionar a transferência eletrônica de recursos federais e estaduais, controle da aquisição de produtos e prestação de contas dos gastos realizados nos Caixas Escolares. "As informações, que serão repassadas para a Seed [Secretaria de Estado da Educação], visam realizar compras com o menor custo possível, evitar o prejuízo para administração e aumentar o controle nos recursos públicos", disse.


Desde o final do ano passado, o Caixa Net está em fase de adaptação em algumas escolas estaduais. Após a finalização dos ajustes técnicos, o programa será implementado nos 365 Caixas Escolares que existem no Amapá. "Vamos formalizar a parceria com o TCE, para que o órgão nos auxilie a desenvolver a ferramenta. Assim, pretendemos melhorar os serviços prestados nas escolas", destacou o controlador-geral.


Para o consultor do Sebrae/AP, Airá Santana, o sistema vai facilitar a fiscalização e estabelecer padrões nos editais e chamadas públicas. A instituição e o governo firmaram um Termo de Cooperação Técnica em relação às compras governamentais. "O Caixa Net garante mais agilidade na prestação de contas, e o Sebrae se dispõe assessorar a Seed e Prodap com a ferramenta, criação de chamadas públicas, e capacitação para os fornecedores de produtos e gestores das escolas", afirmou.


A titular da Secretaria de Estado de Governadoria (Segov), Renilda Costa, também participou da reunião.


Treinamento aos gestores


O Prodap está organizando um treinamento para os gestores que utilizam o Caixa Escolar no Estado. A capacitação deve acontecer em junho. "Também iremos orientar os servidores da Seed que trabalham com o Caixa Escolar. A finalidade é que o programa ajude no gerenciamento dos recursos públicos, inclusive, quando tiver mudança de gestor", esclareceu Euclides de Abreu, analista de sistema do centro.


Será entregue, ainda, uma cartilha com todas as instruções normativas que os Caixas Escolares devem seguir. Ela está sendo elaborada pelo Prodap, Segov, Seed e Controladoria Geral do Estado.