Educação

Secretaria de Estado da Educação

Acessibilidade: A+ A() A-

 NOTÍCIAS

Comitiva do Amapá visita Santos para fortalecer Justiça Restaurativa nas escolas

Por: Com informações da Ascom/Santos - 27/02/2018 - 14:45

Foto: Cedida

A secretária de Educação, Goreth Sousa, foi até a cidade de Santos, em São Paulo, para conhecer de perto as práticas de Justiça Restaurativa aplicada nas escolas locais a fim de implantar as ferramentas conciliadoras na rede estadual amapaense. Ela compôs uma comitiva formada por dez autoridades e educadores do Estado que esteve em Santos na última segunda-feira, 26.

Na oportunidade, a comitiva visitou o Centro de Formação Darcy Ribeiro (Vila Mathias) e a escola Lourdes Ortiz (Aparecida).  As experiências do programa Justiça Restaurativa, desenvolvido nas escolas municipais santistas, serão levadas ao Amapá e contribuirão para melhorar iniciativas já desenvolvidas entre os estudantes da rede estadual e municipal, em núcleos de práticas restaurativas . A iniciativa do encontro partiu da promotora pública do Estado do Amapá, Sílvia Canela, que já conhecia a experiência positiva de Santos.

Segundo a secretária de Educação, houve interesse de conhecer o programa santista pessoalmente, uma vez que o Estado sancionou a lei 2.282, de dezembro de 2017, que dispõe sobre a criação do Programa de Educação para a Paz na esfera estadual. “Já temos experiência com núcleos de práticas restaurativas em parceria com o Ministério Público e Tribunal de Justiça do Amapá. Nossa expectativa é fomentar ainda mais a política de paz nas escolas por meio da Justiça Restaurativa”, disse.

 A coordenadora operacional da Justiça Restaurativa na Secretaria de Educação (Seduc) de Santos, Liliane Claro de Rezende, mostrou como o programa foi implementado em 2014, em nove escolas-piloto, e os resultados alcançados, já incluindo 28 unidades municipais. “Este novo modelo de mediação de conflitos, por meio do diálogo entre todos os envolvidos, com base na reparação do dano, e não na punição, agora está garantido como política pública, por meio de lei”, destacou.

Atualmente, são 273 agentes de paz (41 multiplicadores e 232 facilitadores), que realizaram, nos últimos 24 meses, 230 círculos restaurativos. Em setembro último foi iniciada a formação de mais 300 facilitadores.

Depoimento

Na Lourdes Ortiz, o grupo assistiu a apresentações de jograis e de dança de rua pelos alunos. A diretora Márcia Cristina Oliveira ressaltou que a Justiça Restaurativa faz parte do plano político-pedagógico da escola, elaborado em conjunto com pais e alunos.

O estudante Ygor de Lima dos Santos, de 11 anos, deu seu testemunho sobre a mudança de paradigma na escola após o desenvolvimento da iniciativa. Em seguida, foi realizado um círculo de acolhida denominado Tecendo Sonhos. Cada um escolheu um feixe de seis fios de lã de uma cor e trocaram entre si, com abraços e mensagens, até ficarem com o feixe colorido. Depois, se apresentaram e disseram suas impressões sobre as atividades do dia.